top of page

Inovação israelense para o mundo, na visão de Carlos Guedes, do Iguassu Angels

Imagine a seguinte configuração:

Um país criado a apenas 75 anos, 22 mil km de área Geográfica (equivale ao tamanho do Oeste do Paraná), tendo 60% do território o implacável deserto de Negev com sua média de chuva anual de 30mm, cercada de vizinho nada amigáveis e alguns que continuamente os atacam com foguetes e atos terroristas.


Neste ambiente, com história e cultura milenar, surge o Estado de Israel como nação oficial em 1948 e a partir desta criação vem o desafio pela sobrevivência e os poucos recursos existentes obrigou o governo a fazer uma escolha e optaram pela tecnologia e pela inovação...

Assim nasce a Startup Nation, impulsionada pelas demais organizações e empreendedores nas últimas 3 décadas, posicionaram Israel a um ranking invejável, conforme nos apresenta a Startup Nation Center em Tel Aviv, instituição privada criada para dissiminar e apoiar a prosperidade das Startups do país em uma missão global.



Entre os tantos indicadores, destaca-se alguns:

# 9,6 milhões de população em 22 mil km2 (o Paraná tem 11 milhões em 200mil km de área)

# 54% das exportações são oriundas das empresas tecnológicas

# 1ª em Startups unicórnio no mundo / Per Capita

# PIB Per Capita em USD 54 mil anual (Paraná aproximadamente USD 8 mil)

# 1ª em investimentos de Ventures Capital / Per Capita

# 1ª em investimento em Pesquisa e Desenvolvimento com 5,4% do PIB

# 4 empresas listadas no NASDAQ

# + 7300 Startups tecnológicas

# 550 fundos de. Ventures capital com investimento em empresas no País

# 170 Aceleradoras

# 37 Incubadoras

# 440 Centros de inovação e pesquisa


Isto talvez explique porque do destaque mundial de Israel. A concentração de esforços investimentos maciços é parte do entendimento, somados a dois outros fatores preponderantes:

  • a Cultura "Chutzpah" que se pronuncia Rútzpa que tem como significado simplificado como audácia... Isto não falta neste povo.

  • O exército, onde tem uma cultura e papel elevado na formação dos jovens, onde os homens servem por 3 anos e é as mulheres por 2 anos, indo muito além do "serviço militar e pintar meio fio", avançando em preparação e formação desta base de jovens para a tecnologia.

Segundo Edit Podoler, gerente de Negócios da Start-Up Nation Central é o principal conector e facilitador da inovação israelense que impulsiona o crescimento dos negócios e gera impacto.


O que fazem no Centro?

Identificam setores de tecnologia com alto potencial de crescimento e os impulsionam, fornecendo oportunidades de negócios e investimentos, dados e insights, juntamente com eventos de networking para promover a colaboração.

O foco da Aceleradora é o Heaphtech (saúde), a Foodtech (alimentação) e Climatech (clima e meio ambiente).


Na ocasião, Carlos Guedes, teve uma conversa com Michel Abadi, da Maverick Ventures Capital. “O fundo movimenta 200 milhões de dólares em startups em estágio semente, porém com proeminente capacidade de disruptura e capacidade de inovar e navegar por um período em um oceano azul (parafraseando os autores Kim e Mauborgner do famoso Livro "A estratégia do oceano Azul”)”.

Michel Abadi recebe a analisa 700 startups anuais e investe entre 3 a 4 novas anualmente, com um "cheque" entre 2 a 5 milhões de dólares na primeira e muitas vezes única rodada. Deixando que outros fundos invistam em rodadas maiores, valorizando em muito seu investimento inicial, chegando em retornos depois de 3 a 5 anos que já chegaram a 10, 20, 30 vezes o capital investido. Como destaca Abadi, o risco é grande, mas se a ideia for destacadamente original e tenha um mercado a desbravar, muito se pode ganhar.

Os fundos do Maverick já operam no Brasil por meio do www.maverick.vc/


  • Carlos Guedes é empresário e membro do Iguassu Angeles desde 2022. Atua no segmento de Consultoria especializada em Gestão Estratégica e Liderança corporativa, é Conselheiro da Cooperativa Paraná Energias, Vice Presidente para o Planejamento da Faciap, Vice Presidente de Inovação da Acic e Diretor Secretário do CODESC.“O papel do investidor anjo é o de descobrir e conectar projetos de inovação ao mercado para acelerar e tracionar seu desenvolvimento"

103 visualizações0 comentário
bottom of page